segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Bolero rosinhas de Portugal





Feito o vestido para a sobrinha (post anterior), como se adivinhava frio, pensou-se em se fazer um casaco fofinho para aconchegar a miúda e com as mangas bem grandes que a rapariga é esticada e os casacos têm ficado curtos a uma velocidade estonteante...

A avó sugeriu um bolero branco peludinho e entre perdidos e achados, optou-se pelo fio Joker da Brancal e pelo ponto rosinhas de Portugal que funciona bem com fios peludos.

Cá esta a cachopa com o conjunto, toda feliz e contente no dia da festa! :D

A conjugação deu um ar clássico, à catraia supra sumo de tudo o que é ser menina cor-de-rosa e delicada.







para mais tarde recordar...


material
4 novelos fio Brancal/Joker (cor#1)
agulhas 5 mm e 6 mm
agulha 3 mm de crochet
3 botões

receita
manga
ponto Rosinhas de Portugal
40m, 8 nós de canelado 1/1
Segue em rosinhas de Portugal (ver explicação de como fazer rosinhas de Potugal no "glossário de tricot" do  pontos e apontamentos, link aqui), com aumentos com 3 nós de intervalo, 40 nós até à cava (60 malhas).
escala de mates da cava: 3, 2, 1, (0, 2, 1) x4, 2, 3, [14]


costas
76m, primeira carreira pelo direito em liga e depois segue com as rosinhas de Portugal (2 malhas de orla em mousse) 15 nós até à cava.
escala de mates da cava: 4, 2, (1) x3, (0)x17 (total de 22 nós)
escala de mates do ombro: (4) x4
escala de mates do decote: 10, 2, 1


frentes
27m, primeira carreira pelo direito em liga e depois segue com as rosinhas de Portugal (2 malhas de orla para a costura e 1 malha para o centro).
Para fazer o redondo da frente do bolero, primeiro garantir que na marcação das rosinhas de Portugal fica para o centro o "tirar por 3 vezes na mesma malha" (e não o mate de 3). Na carreira a seguir (direito), aumentar uma malha na orla central. Na carreira seguinte (avesso), na malha ao lado da última (da orla central), fazer "tirar por 3 vezes na mesma malha". Assim, temos um aumento de 1+2 malhas no conjunto destas 2 carreiras. Repetir o procedimento nas carreiras seguintes até 39 malhas e depois fazer mais um aumento na orla central, de modo a ficar com 40 malhas.
Segue um total de 15 nós até à cava.
escala de mates da cava: 4, 2, (1) x3, (0)x17 (total de 22 nós)
escala de mates do ombro: (4) x4
escala de mates do decote (8 nós após o início da cava): 5, 3, 2, (1)x5

acabamento
Para rematar o bolero usei simplesmente uma carreira de crochet em ponto baixo, seguida por uma carreira em ponto caranguejo

2 comentários:

  1. Boa noite,

    as suas explicações são excelentes mas não percebo a escala de mates da cava nestas quantidades (0, 2, 1) x4, 2, 3, [14] pode ajudar, p.f.?

    Obrgada

    ResponderEliminar
  2. Olá,

    1º quando eu falo de mates/diminuições, normalmente refiro-me a um dos lados, e tem de se repetir no outro;

    2º quando coloco (0, 2, 1)x4, quero dizer que o que está entre parêntesis, vai repetir-se 4 vezes, isto é, vamos ter uma carreira sem mates (o 0), a seguir uma carreira em que se eliminam 2 malhas no inicio (o 2) e depois uma carreira em que elimina-se 1 (o 1). E repete-se a sequência 4 vezes. (as mesmas diminuições do lado oposto);

    3º No parêntesis rectos eu normalmente coloco as malhas que sobram depois de fazer as diminuições e que são para matar todas juntas na última carreira;

    Assim, para este caso, temos 60 malhas ao início da cava, eliminamos por lado 3+2+1+(0+2+1)x4+2+3=23 malhas. Logo, 60-(23x2 lados)=14 malhas finais.

    Espero que esta explicação tenha ajudado.

    E obrigada pela visita!

    Mary

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...